.
   

INTRODUÇÃO – Inicio da Peça teatral – A mãe de Zezinho no dia anterior

recebeu um telefonema de uma amiga dizendo que  o filho, Pedrinho, era

dependente de drogas e pedia orientação à mãe de Zezinho.

A mãe de Zezinho  no dia seguinte narra para ele o fato e comenta a

dificuldade do dependente e de seus familiares e alerta Zezinho  para nunca

aderir ao uso de drogas.

Mãe –(Dirige-se ao filho e diz) Zezinho!...senta aqui junto da mamãe, quero

lhe contar uma coisa muito triste!

Zezinho – Que coisa triste tem a senhora para me contar mamãe?

Mãe – Ontem à noite eu recebi um telefonema da Mãe de Pedrinho, aquele que

foi seu colega, e que estudava na mesma Escola com você! Você se lembra?

Zezinho: - Lembro sim...mamãe; estudamos na mesma classe na quinta séria do

Curso Fundamental; éramos amigos, brincávamos juntos; era um colega muito

bom, estudioso, tirava boas notas; faltava só se estivesse doente.

Faz tempo que ele passou a estudar em outra Escola...Mas o que de triste a mãe

de Pedrinho lhe contou, mamãe!

Mãe – Ela me telefonou chorando... Desesperada!

Zezinho – Mas triste e desesperada, porque, mamãe?

Mãe – Porque o Pedrinho está viciado em drogas e está lhe  dando muito

trabalho! Disse-me que, de 5 meses para cá, como já consome mais de uma dose

por dia e não tem dinheiro para comprar, já vendeu todas as suas coisas por

preço bem baratinho. Já vendeu a bicicleta que ele ganhou no aniversário; rádio;

aparelho de CD; bola de futebol, roupas, enfim tudo o que possuía.

Zezinho – Seus Pais não conseguiram impedir  que ele vendesse as coisas ?? 

Mãe – Vendia às escondidas, na hora que não tinha ninguém em casa...

Ele pegava, levava embora e vendia. No começo seus pais não percebiam, só

quando já tinha vendido algumas coisas, é que foram perceber, mas apesar das

broncas que levava... a vontade muito grande de usar droga, chamada

dependência química; fazia ele não parar com o uso de drogas.

E não parava com as vendas porque não tinha dinheiro para comprá-las.

Zezinho – Os Pais de Pedrinho não orientavam ele sobre o mal que as drogas

provocam?                                 

Mãe – Orientavam, sim... E ele prometia não usá-las mais; mas  ele já era

dependente das drogas. Então... vinha aquela vontade muito forte de usar e ele

voltava a usar.  Agora já não tendo coisas suas para vender, roubava objetos da

própria família e vendia para conseguir dinheiro e comprar droga.

Zezinho – Puxa vida, Mamãe! Eu não esperava isso do Pedrinho...Ele era tão

legal!  É tão difícil assim deixar o vício das drogas mamãe?  

Mãe -  É muito difícil mesmo... Os psiquiatras dizem que em pesquisas se

constatou que menos de 30% dos que se tornam usuários de drogas, conseguem

abandonar o vício; veja como é a droga uma coisa muito terrível. Essa pesquisa

foi feita entre os que fazem consultas, tomam medicamentos e até entre os que

são internados em hospitais psiquiátricos não chegam aos 30% os que

conseguem a libertação do vício.

Zezinho – A Mãe do Pedrinho lhe falou como foi que ele entrou no vício da droga?

Que droga começou a usar?

Mãe – Ela me disse que uma noite nas proximidades de uma lanchonete, um

amigo de Pedrinho que já usava droga, ofereceu a ele um cigarro de maconha, 

vulgarmente conhecido como baseado. O colega falou a ele que proporcionaria um

bem estar, euforia; mas não falou que isso passaria rapidinho e que depois viria

um mal estar uma ansiedade e um desejo muito forte de usar nova dose da

droga; e não disse dos males que a droga provoca a saúde humana; ao coração,

pulmões, olhos, nariz, alucinações, etc. Pedrinho caiu nessa e se tornou usuário.

Agora já está usando crack, uma Droga muito mais perigosa do que a maconha!

Zezinho – Na minha escola a professora já deu curso sobre droga, falando do mal

que elas provocam a saúde; Policiais deram também um curso chamado Proerd

que é muito bom, traz muitas orientações para se evitar o uso de drogas, e como

se defender delas. Pedrinho caiu na conversa de um amigo dependente de droga!

Que pena hein mamãe!  E que conselho a Sra. deu a mãe de Pedrinho, quando ela

lhe telefonou?

Mãe – Disse para ela levá-lo ao  Posto de Saúde Mental de nossa cidade. Lá tem

psiquiatra que faz consulta; receita medicamentos; psicólogo que passa

orientação. Disse também que se o caso for grave, e parece que é mesmo; o

psiquiatra pode pedir a internação de Pedrinho, que ela aceite e peça também ao

filho para aceitar.

Disse que um dependente e seus familiares devem também frequentar

semanalmente e pontualmente reuniões de Grupos de Apoio, porque lá os

dependentes e os familiares são orientados como fazer para abandonar o

vício. Falei também em levá-lo para instituições especializadas em tratamento de

drogados.

Zezinho – O que são Instituições especializadas em tratamento de drogados?

Mãe – São Instituições localizadas na zona rural; sítios ou chácaras, onde os

dependentes recebem orientações, continuam tomando os medicamentos

receitados e trabalham cuidando de plantações, hortas, gado, cabras, aves, etc., 

esse trabalho é uma terapia muito importante que ajuda muito a esquecer o

vício, mantendo-se ocupado.

Zezinho – Que Pena em Mamãe! Como o Pedrinho foi cair nessa!!!

Mãe – Pois é meu filho!  Quem não se interessa em guardar as boas  orientações

e praticá-las, acaba se prejudicando muito, muito Mesmo!!

Dá-me licença., filho, já falamos bastante sobre drogas, outro dia continuaremos.

Tenho que cuidar dos meus afazeres.  Tchau!....

Zezinho – Tchau Mamãe!...

FIM

.